Entrevista de Rondinelli Fortalesa o autor de OLDAR ( Editora Dracaena)


A Saleta de Leitura recebeu de sua parceira,a Editora Dracaena, o seu  livro Oldar – Guerra da Traição para leitura e resenha. Visitando o seu site podemos conhecer um pouco sobre o autor e a história de como surgiu este que é o  primeiro livro de uma trilogia onde  já temos a caminho, ainda para este ano, o Oldar Durilim e que o terceiro, Oldar – Telfem  está em fase de edição de texto. 

Escolhemos para ler sua obra e resenhar a nossa colaboradora Pandora que estava maravilhada com a fantástica literatura brasileira e seus autores. E temos certeza que escolhemos a pessoa certa, pois ela foi logo dizendo no email que nos enviou.

 “Ah, muito obrigada pela oportunidade, foi legal ler Oldar, especialmente porque tive a oportunidade conversar com o autor durante a leitura. Foi massa!!!”

 Sobre o autor Rondinelli Fortalesa

Rondinelli Fortalesa, goiano ,analista de sistemas e escritor.
"Sou o Rondinelli, tenho 27 anos e sou autor de ficção fantástica, gosto muito dos autores Tolkien, Lewis, Saramago e Rowling. Desde criança eu costumava escrevinhar coisas até que um dia decidi formalizar minhas idéias e criei o que eu chamo de Telfem, um personagem com poderes fantásticos e que viaja por entre os mundos do pluriverso. Divergindo de outras histórias que falam primeiro do momento de máxima importância e depois retornam para contar como tudo começou, eu parti do início, contando a história de Oldar, o primeiro mundo criado e onde o Telfem nasceu.


E aqui estamos com uma pequena entrevista onde iniciamos com perguntas feitas pela própria Pandora.

1. Como sou cristã, logo de cara percebi  o quanto a narrativa bíblica e a epopéia do pecado e do perdão fazem parte de sua história. O que te levou a se inspirar na Bíblia para escrever as origens de Oldar?
Re: Desde minha tenra idade eu tive fé nas coisas mais improváveis e impossíveis, dentre elas essas histórias relacionadas com a criação da humanidade sempre me deixaram intrigado e muito interessado. Esse desejo cresceu dentro de mim e quando eu tinha por volta de 15 anos ingressei na vida religiosa e foi por pouco que escapei de me tornar um padre, mas percebi que eu não tinha vocação. Quando decidi escrever uma história de ficção pensei que o mais correto era inserir os leitores no meu universo e me inspirei em Narnia, Simarilliom e no Gênesi para criar as origens de Oldar.

2. Outros autores já se inspiraram na Bíblia para contar suas histórias, como por exemplo o gigante C. S. Lewis, você não se sente receio de ser comparado a um gigante como esse?
Re: Pra ser muito sincero, não sinto receio algum, pois confio muito na qualidade da minha obra e acredito que ela tem seus méritos próprios de grandeza e importância para nosso tempo e quiça para tempos vindouros quando eu não estiver mais entre o número dos que caminham sobre essa terra.

3. Eu amo ler fantasia, mas considero um dos gêneros mais difíceis de serem escritos justamente porque o autor tem que criar tudo do zero. Qual foi sua maior dificuldade em relação a criação de Oldar?
Re: Eu poderia enumerar tantas dificuldades, ainda mais por eu não ter recorrido a qualquer tipo de auxílio, confesso que eu tinha tanto receio de rejeição no passado que ninguém conhecia o livro até que ele foi publicado. Esse isolamento mental que me impus fez com que em alguns momentos a narrativa ficasse incompleta, sinto que em alguns momentos o leitor sente que faltou algo que não está lá no papel e ficou retido em minha mente. Como a própria Pandora pode averiguar, eu não consegui dar a dimensão exata de como as edificações foram erigidas e como as sociedades se formaram em torno das formas primitivas de administração.

4. Quanto tempo você demorou para escrever essa história?
Re: O primeiro livro (Oldar – Guerra) levou um pouco mais de dois anos para ser escrito, pois nunca dediquei um tempo só para escrever e administrei o tempo entre trabalho e estudos para escrever o texto, revisar e procurar editoras.

5. Uma coisa que me chama muito atenção em Oldar é o tom didático de sua narrativa, especialmente nos primeiros capítulos que falam da criação, lembram muito livros infantis, um gênero pelo qual sou apaixonada, você já pensou em escrever para os pequenos?
Re: Eu gosto muito de crianças e da sinceridade delas, essa foi uma das razões que procurei ter essa linguagem sóbria na história. Como alguns leitores já me relataram, os personagens adultos de Oldar agem como se fossem crianças crescidas, em parte eu mesmo sou assim e considerei que seria interessante fazer do livro um gênero apreciável por todas as idades. Agora voltando a pergunta em questão, sim, eu já pensei nisso. Acredito que as histórias que virão da sequencia de Oldar (as histórias do Telfem, pós – Oldar) devem ser mais voltadas para as crianças.

6. Sim, quando leio um livro tenho a tendência de me apaixonar e detestar alguns personagens. Por exemplo, eu sinto uma enorme antipatia por Ânea, e adoro Dormom, por quem torci muito e com o qual sofri ao longo da história, aliás adorei o fim dele. Você tem alguma simpatia especial por algum personagem? Qual e Porque?
Re: Do primeiro livro eu tenho uma grande admiração e respeito pelo Dormom, ele sofre tanto e passa por tantas adversidades e mantém aquele espírito forte e determinado, contudo eu tenho uma paixão pelo personagem Herlana, que no primeiro livro teve uma participação discreta e crescerá na história nas sequencias. Ela não tinha a visão poderosa do futuro que seu pai Kormom, nem era tão habilidosa com espadas como seus irmãos, contudo ela soube no momento certo usar o poder que lhe foi dado ao seu favor sem prejudicar ninguém.

E agora para concluir a Saleta de Leitura gostaria de fazer mais algumas perguntas.

7 – Desde cedo você já mostrava o interesse pela escrita. O fato de escrever sobre ficção teve influência do seu gosto pelos autores Tolkien, Lewis, Saramago e Rowling?
Re: Esses quatro autores sem dúvida povoam meu imaginário de uma maneira muito forte e intensa, cada um deles participou de uma fase mental da minha existência e sinto-me como discípulo deles.

9 – Para escrever Oldar que tem uma narrativa bíblica teve que pesquisar muito sobre assuntos bíblicos e teologia?
Re: Antes de escrever eu fiz leitura de diversos tipos de livros de fé e livros históricos que relatassem sobre a criação da humanidade, em especial sobre a origem do mal no coração do homem. Dentre os livros eu destaco a Bíblia, Deus – Uma Biografia e Silmarilliom, mas foram tantos outros que já não sei mais especificar.

8 – Como você consegue conciliar a sua atividade de Analista de Sistemas a de um escritor?
 Re: Com muito café, em alguns momentos da escrita eu durmo menos de quatro horas por dia e tenho que dedicar meu cérebro em potência máxima no outro dia para analisar os problemas e resolvê-los com ferramentas tecnológicas.

9 – Pretende futuramente se dedicar somente a atividade de escritor?
Re: Eu pretendo contribuir por mais algum tempo na empresa onde trabalho atualmente e onde fiz compromisso de fortalecer o sistema em desenvolvimento, mas depois disso pretendo dedicar meu tempo apenas para escrita e para o desenvolvimento de um outro projeto relacionado com Oldar que ainda é sigiloso.

10 – Depois da Trilogia de  Oldar já está programando escrever outro livro?
Re: A próxima obra tem o codinome Tayla e Darkus, uma história de ficção científica romântica.

11 – Qual o recado que deixaria para os seguidores e leitores da Saleta de Leitura?
Re: Vocês são privilegiados por acessarem a Saleta de Leitura, pois o trabalho é de excelente qualidade. Pela minha experiência com blogs literários sei que boa parte do público gosta não somente de ler, mas curte bastante escrever também, então sugiro que não desperdicem nada do que escrevem, pois se levarem a sério e dedicarem com afinco um dia poderão ter sua obra publicada e suas ideias viverão por muitos anos na mente de outras pessoas e os seus frutos anônimos podem melhorar um pouco a vida de alguém.

 Agradecemos o seu carinho em nos conceder essa entrevista e parabenizamos pela excelente obra que já é um sucesso.

6 comentários

  1. Oi,vim conhecer seu Blog,amei e já estou super seguindo,parabêns por seu cantinho e muito sucesso aqui!

    Te convido para conhecer meu Blog e se gostar e poder seguir também,será muito bem vinda,sinta-se em casa!

    Ah,tem 2 sorteios no Blog,participa!

    http://umamulherbemvestida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Muito feliz com as respostas do Fortalesa!!! Que menino educado é um prazer conhecer autores assim!!!

    ResponderExcluir
  3. Muito legal a entrevista!!! é sempre bom conhecer um pouco mais sobre os autores!!!

    Beijos

    Vivian

    ResponderExcluir
  4. Gosto muito de ler as entrevistas, principalmente de autores que ainda não conheço, embora nesse caso o livro esteja bem badalado.
    Bom poder conhecer o escritor, sua vida e sua obra.
    Sucesso!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Bah ...
    Muito boa esse entrevista,
    é legal saber um pouco mais do escritor e
    de onde surgiram as idéias para o livro ...
    gostei muito das respostas dele ...
    Tô curiosa para ler Oldar ...
    por ser um gênero que gosto e por ser de um escritor brasileiro!!!

    ResponderExcluir
  6. O livro parece ser bastante interessante (: não vejo a hora de ler !

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita!
Seu comentário é muito bem vindo!
Volte sempre !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...