Cine Saleta com o filme Mary e Max: uma amizade diferente by Pandora

by Pandora
     

Filme Mary e Max : uma amizade diferente 



Quem me apresentou o filme "Mary e Max: uma amizade diferente" foi a Vaneza com Z, ela achou que talvez eu fosse gostar da forma diferente através da qual os personagens do filme constroem seu vinculo de amizade. Dito e feito, eu me apaixonei pelo filme.

Sensível, real, delicado e levemente engraçado o filme encanta ao contar a história de como uma menina australiana solitária, filha de um pai ausente e de uma mãe alcoólatra, constrói através de cartas uma amizade tão inusitada quanto verdadeira com um homem de meia idade, solitário e cheio de manias da cinzenta cidade de Nova York.

Tudo começa quando Mary envia uma carta perguntando de onde vem os bebês para uma pessoa qualquer cujo endereço pegou nos correios em meio a uma confusão danada... O desconhecido qualquer para o qual Mary escreveu é o Max que depois de uma verdadeira crise de pânico responde a carta da menina e dando inicio a uma relação de longuíssima duração.

É lindo observar como esses dois passam a enfrentar a vida juntos, apesar de estarem geograficamente tão distantes um do outro, como Max está presente em todos os momentos da vida de Mary e ajuda a menina a enfrentar todas as perdas impostas pela vida ensinando e aprendendo essa difícil arte de "ser e estar" nesse mundo tumultuado e incompreensível que é o nosso.

Conhecer a história desses dois é sinônimo de viver grandes emoções. Lembro que da primeira vez que vi o filme terminei precisando não de um lenço, mas da caixa inteira. Da segunda vez não foi diferente e hoje, depois de assistir esse filme no minimo dez vezes, ainda não consigo deixar de chorar de emoção e compreensão.

Há quem diga que a modernidade inviabiliza formas antigas de comunicação como as cartas, no entanto, através da internet conheci pessoas com as quais passei a trocar uma correspondência regular e significativa tornando a experiência de ver esse filme ainda mais agridoce.  

Conhecer Mary e Max me fez pensar nessas pessoas com as quais eu troco cartas, do meu desejo de conhecê-las pessoalmente, de como nós trocamos coisas significativas umas com as outras, de como a vida nos uniu de forma inusitada.

Foi, e é, fácil me colocar no lugar de Mary. Foi, e é, fácil enxergar em Max meus amigos e amigas queridos e queridas... É muito fácil se apaixonar por essa história e dizer: "Se você ainda não conhece esses dois, corra e vá conhecer e se emocionar também com essa história de amizade!"




 Pandora
Jaci Clemente conhecida neste  mundo virtual como  Pandora. Estudante de História e  seu objeto de estudo preferido é História da Educação. É apaixonada por literatura fantástica, poesia, romances do século XIX e todo tipo de livro bem escrito, seu primeiro emprego foi com educação infantil, então também ama literatura infantil. Adora responder aos comentários feitos em suas resenhas tentando estar sempre presente .  

  e-mail  #   facebook   #  twitter  #  skoob
 

13 comentários

  1. Que fofo esse filme, quero muito ver!
    Adorei a sua resenha *-*
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa
    http://www.facebook.com/BlogEscutaEssa
    @blogescutaessa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio Renata! O filme é mesmo fofo demais, espero que você veja e goste!

      Excluir
  2. nossa, nunca ouvi falar neste filme, mas achei uma graça *--*
    concordo com você quanto a internet.... também fiz muitos amigos bons por aqui!
    ótima resenha! com certeza vou procurar para assistir! *--*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também fiz grandes companheiros por essas águas virtuais Rayme e sim espero que você assista e goste!

      Excluir
  3. Aii que fofo. Nunca tinha visto, mas quero muito conferir. Deve der muito fofo mesmo e emocionante.
    Bom final de semana.
    Beijos!
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Paloma, sempre que vejo esse filme choro e me emociono. Você corre o risco de gostar muito!!!

      Excluir
  4. Cartas...Me deu uma sensação de nostalgia, a mesma que senti quando li o livro de Maurício Gomyde, "Ainda não te disse nada", onde ressalta essa troca de papeis que está quase extinta.
    Adorei o filme indicado por você, principalmente por esse detalhe. Com certeza irei assistir, ando meio afastada dos filmes e essa foi uma boa dica para aproximar-me novamente.
    Adorei a resenha, obrigada!

    Bjos
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nizete espero que você goste do filme, ele é simplesmente lindo! E eu já anotei aqui a dica de "Ainda não te disse nada", adoro trabalhos que abordem trocas de cartas!

      Excluir
  5. Que lindo Pandora!
    Vou procurar assistir com a família certamente!
    Obrigada pela dica e por compartilhar sua emoção conosco.
    Beijos... Elis Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elis, espero que sua família goste e que desperte boas reflexões!!! Cheros!!!

      Excluir
  6. Oi Pandora! Vi o trailer e adorei, muito fofo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o filme, mas me pareceu interessante a construção da relação de amizade - eu não queria estar no lugar do Max, já pensou ter de responder esta pergunta para uma criança? Só me vem à cabeça a tia cegonha.

    E concordo com o sentimento de nostalgia - e como é bom sentí-lo! - as coisas eram bem mais pessoais e românticas, hoje em dia as relações são cada vez mais mecânicas.

    ResponderExcluir
  8. Eu descobri esse filme por acaso, meu sobrinho de 7 anos viu o trailer e pediu pra eu baixar pra ele, e como de costume eu assisti o filme primeiro pra saber se era apropriado pra idade dele, eu decidi que não. Mas a história me encantou, é linda a forma como um tenta ajudar o outro a lidar com seus problemas, e quando meu sobrinho crescer com certeza irei mostrar esse filme pra ele :D

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita!
Seu comentário é muito bem vindo!
Volte sempre !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...