Resenha "Sete Minutos Depois da Meia-Noite " de Patrick Ness

Edição: 2
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581638249
Ano: 2016
Páginas: 160

"Conor é um garoto de 13 anos e está com muitos problemas na vida. A mãe dele está muito doente, passando por tratamentos rigorosos. Os colegas da escola agem como se ele fosse invisível, exceto por Harry e seus amigos que o provocam diariamente. A avó de Conor, que não é como as outras avós, está chegando para uma longa estadia. E, além do pesadelo terrível que o faz acordar em desespero todas as noites, às 00h07 ele recebe a visita de um monstro que conta histórias sem sentido. O monstro vive na Terra há muito tempo, é grandioso e selvagem, mas Conor não teme a aparência dele. Na verdade, ele teme o que o monstro quer, uma coisa muito frágil e perigosa. O monstro quer a verdade. Baseado na ideia de Siobhan Dowd, Sete minutos depois da meia-noite é um livro em que fantasia e realidade se misturam. Ele nos fala dos sentimentos de perda, medo e solidão e também da coragem e da compaixão necessárias para ultrapassá-los."



Está em uma ressaca literária e precisa de um livro que te tire dela o mais rápido possível? Talvez eu tenha encontrado a opção perfeita pra você, afinal eu posso dizer por experiência própria que este livro é ótimo pra resolver esse tipo de problema.

Quando estamos em uma ressaca literária, o que precisamos é de um livro que seja rápido, simples e leve. E bom, Sete Minutos Depois da Meia-Noite cumpriu todos esses requisitos para mim. Não apenas por ser curtinho (160 páginas), mas também porque sua narrativa, ainda que agradável e envolvente, consegue ser simples e sucinta sem deixar faltar nada.

Eu estava tendo diversos problemas para realmente me envolver em uma história recentemente, mas com esse livro, eu simplesmente não conseguia parar de ler. E a minha empolgação ao perceber isso foi tanta que eu li o livro em apenas um dia. E quando acabou, admito que queria mais, e fiquei pensando "Será que não dava pra ter feito esse livro mais comprido não?", só que no fim das contas, eu creio que ele seja assim tão bom exatamente por isso: Ele não desperdiça palavras, ele não alonga cenas, e ele não se demora em coisas desnecessárias. Ele é dinâmico sem parecer corrido, e ele sabe exatamente onde parar. 

Mas enfim, assim como o livro, eu não quero me alongar demais aqui, até porque apenas a minha avaliação: 5 estrelas, já resume o que eu achei da história, e mostra um pouquinho do carinho que eu adquiri por alguns dos personagens aqui. É incrível como alguns livros de mais de 400 páginas não conseguem me fazer me apegar, mas este, com menos de 200, conseguiu. 


Quanto ao enredo: Ele é narrado em terceira pessoa, e conta a história de Conor, um garoto de apenas 13 anos que vive com sua mãe que está extremamente doente. 

Em sua escola, os colegas que não agem como se ele simplesmente não existisse, batem nele e o humilham todos os dias. Em casa, sua avó, com quem ele não tem lá a melhor das relações, está vindo para ajudar com a doença de sua mãe. Conor no entanto, acredita que aquilo seja extremamente desnecessário, afinal ela já teve outras recaídas... Aquela era só mais uma daquelas vezes em que ela só precisava tomar os remédios, e então logo ficaria melhor. Ela não precisava dos cuidados especiais da avó de Conor... Não é?

Como se isso não bastasse, todas as noites às 00h07 ele tem sonhos estranhos com um monstro que vem de uma árvore no seu quintal (mais especificamente um teixo), e que lhe conta histórias estranhas e que para o garoto não fazem o menor sentido. Porém, com o passar do tempo, esses sonhos parecem se tornar cada vez mais e mais próximos da realidade. Até o ponto em que o menino já não sabe mais se são realmente sonhos.

E as estranhas visitas daquele teixo não teriam nada demais, afinal ele só vem para contar histórias... Se não fosse pelo pedido que o monstro havia feito: Em sua última visita, era Conor quem contaria a história. Mas não qualquer história: Ele contaria a verdade. A verdade sobre os terríveis pesadelos que estava tendo todas as noites e dos quais não conseguia se livrar. A verdade sobre coisas que ele não quer admitir sobre si mesmo. A verdade sobre aquilo que o faz acordar apavorado e suando frio. A verdade sobre o único monstro que ele realmente teme.

Um filme baseado nesse livro foi lançado ano passado, dirigido por Liam Neeson, e eu ainda não tive a oportunidade de assistir. Mas promete ser tão bom quanto o livro.



Livro cedido em parceria pela editora Novo Conceito


2 comentários

  1. Oi Ana! As vezes acontece isso comigo também de livros curtos que poderiam até ser esticados, mas que ao mesmo tempo não enrolam o leitor, como alguns livros que são mais grossos. Adorei a resenha e ainda não li o livro e nem vi o filme, mas vou querer conferir em breve. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Esse terceiro paragrafo da resenha foi aquele que disse tudo sobre o livro. Eu concordo em gênero, número e grau com tudo o que foi dito sobre a narrativa do Patrick Ness em "7 minutos..." Ele é tão bem amarrado que eu li em uma madrugada e foi dormir emocionalmente avariada, mas satisfeita demais com o livro. Tem livros com 400 paginas que não dizem o que Ness diz nessas 120. Também não vi o filme ainda, reza a lenda que tem no catalogo da Netflix, qualquer dia desses vou lá e dou uma olhadinha.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita!
Seu comentário é muito bem vindo!
Volte sempre !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...